Letal, selvagem e poderoso, Cacira é o melhor guerreiro da Existência e da Criação. Filho de Caiçara, o deus nasceu de um grande incêndio que matou toda uma vila. Caiçara o viu e lhe tirou dos escombros e vendo que o rapaz tinha seu sangue, o levou para seu santuário e o criou.

Embora as circunstâncias de seu nascimento tivessem moldado o guerreiro bárbaro perfeito, sua criação por Caiçara aplacou seu gênio violento. Embora seu corpo fosse pintado de preto pelas cinzas de um incêndio e pelo vermelho sangue de inocentes caídos, em seu coração havia a chama harmoniosa do pai. Isso fez dele ainda mais poderoso.

Durante a Segunda Era da Criação, quando nasceu, os deuses existentes viviam separados e sem contato uns com os outros. Cacira criou a Casa dos Deuses e convidou um por um, para habitar consigo e seu pai. Caiçara, orgulhoso do filho, abençoou a taba fazendo dela seu novo santuário e sede do Fogo Sagrado. Desde aquele dia, Cacira é o Cacique dos Deuses e o Primeiro Guardião do Fogo Sagrado.

Embora não seja dotado de grande poder mágico, seus poderes mundanos são excepcionais. Sua força é sobre-humana assim como sua velocidade e agilidade. Ele criou grande parte das armas usadas por mortais. Seu corpo tem um fator de cura altamente acelerado, curando-o de quase qualquer dano instantaneamente. Além disso, Cacira tem grande magia mental. A aura que desprende é capaz de enlouquecer pessoas assim como levá-las à guerra e à violência. Seus olhos também carregam magia. Chamados de “Olhos do Mártir”, a visão dos olhos de Cacira geram visões de barbárie e selvageria.

Os humanos tinham grande apreço por Cacira por diversos motivos. A admiração era recíproca porque o deus estimava os mortais mais do que ele estimava alguns deuses. Mortais eram vorazes, implacáveis e incansáveis; todas qualidades que Cacira admirava. Alguns deles, porém, eram mais fortes e mais rápidos que os outros, assim como o deus, eles juraram proteger o que amavam. Esse foi o catalizador dos primeiros herdeiros.

Os Guerreiros, herdeiros de Cacira são muito parecidos com o patrono. Seus poderes são semelhantes, embora mais fracos. Sendo os primeiros herdeiros da Criação, Cacira deu a eles um único objetivo, proteger Caiçara e o Fogo Sagrado.

Cacira é um dos deuses que melhor se adaptou à modernidade. A Quinta Era da Existência trouxe alguns dos piores conflitos da humanidade. As duas Guerras Mundiais, A Guerra do Paraguai e a Guerra dos Farrapos foram combates que o deus não apenas visitou, mas que participou ativamente de incursões de front, acompanhado de perto por Beraba-Cunun.

Essa modernização, porém, custou a ele grande parte da sanidade. A guerra já não é algo normal, com o passar dos anos ele se tornou um deus entediado. É comum vê-lo pelas ladeiras de Olinda no carnaval ou na Noite Sem Luar. Cacira tem sucumbido cada vez mais a modismos e eventos culturais que para ele um dia foram irrelevantes. Sempre com Beraba e Ya’Wara.

Isso, porém não apagou o fogo guerreiro do deus. Os que lhe conhecem sabem, para o fogo da fogueira se tornar um incêndio, é necessário muito pouco.

CaciraWixLongo2.png
Cacira.jpg

Cacira

Deus da Guerra

O Cacique dos Deuses

O Anjo da Batalha

O Primeiro Guardião 

Status: Acordado

Hierarquia: Deus Maior

Santuário: O Arsenal

Magia: Existência

Relações:

Pai: Caiçara

Herdeiros: Guerreiros

Projeto

Herdeiros

no Spotify